Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

UMA MÃE DE CORAÇÃO... e algo mais

Este blog, mais do que "mãe de coração" tem "fragmentos de uma vida comum". Uni os dois blogs e, aqui, falo de adopção em geral, da nossa experiência e de outros pedaços da minha vida.

UMA MÃE DE CORAÇÃO... e algo mais

Este blog, mais do que "mãe de coração" tem "fragmentos de uma vida comum". Uni os dois blogs e, aqui, falo de adopção em geral, da nossa experiência e de outros pedaços da minha vida.

06
Nov14

Reeducação - as boas maneiras...

Quando falo de reeducação no cabeçalho falo literalmente de reeducação. Já li e ouvi alguns pais adoptantes comentarem das primeiras semanas mágicas. Crianças meigas e bem comportadas, umas mais dadas que outras mas no geral todos me falavam das boas maneiras e educação que demonstravam. 

 

Tudo isto pode ser visto nos primeiros dias, primeiras semanas. Com o meu filho também foi assim. Recordo os dias em que nos estivemos a conhecer antes de vir para casa, comíamos fora todas as refeições e aquele menino era um cavalheiro cheio de boas maneiras.... até a porta do restaurante segurava para eu entrar!!!  (doces momentos para recordar) é preciso que se saiba que nós tínhamos consciência que tudo isto era um esforço concertado para nos agradar, mas também nos mostrava que tinha conhecimento das regras de "boas maneiras".

 

Saber estar e saber receber foi sempre algo importante para mim e daí querer transmitir a um filho, mas isso daria outro post (quem sabe um dia). A questão é que efectivamente sabia tudo sobre as boas maneiras à mesa, como tratar as pessoas, o se faz favor e o obrigado eram uma constante. Agora é preciso que se saiba que tudo isto "passa/acaba".

 

Depois dessa fase doce vem o desafio, o teste, o "desleixo" ou desprezo por tudo o que se tinha aprendido até ali. Há momentos de retrocesso. O meu "rapazote" deixou de pedir para exigir. Saltava do sofá ou do computador quando era chamado para vir para a mesa ou para a cama, agora é o já vou e espera! Tudo isto é normal!!! Começam a ficar confortaveis e, ao mesmo tempo, não conseguem deixar de nos testar para garantir que gostamos mesmo deles. E é nesta fase que entra o que chamo de reeducação. Voltar a ensinar todas as regras que eles até sabem mas que acham que já não têm importância. Não sei o que é mais difícil, ensinar ou reensinar! Mas deve ser o mesmo, um desafio!

 

Aqui nem estou a falar de valores (embora se misture), mas daquelas regras de boa educação que demonstram respeito pelo outro.

 

Recordo numa das formações, durante o processo de adopção, que algumas pessoas comentavam que seria dificil aceitarem/ligarem-se a uma criança que se mostrasse rebelde, arisca. As assistentes sociais tentaram explicar da melhor forma a realidade, o que podemos esperar. Houve momentos em que me questionei se queriam um filho ou um robot!! 

 

Acho importante lembrar a quem decide ter um filho quer seja biológico ou não que tudo é um desafio, quem acha que por adoptar está a escolher o filho perfeito desengane-se, essa criança será tão perfeita quanto os olhos dos pais o desejarem!!! O meu filho é perfeito para mim....

1 comentário

Comentar post